Poemas para pichar no muro

Poemas para pichar no muro

A força e o ingovernável das ervas daninhas está no sol.
Os beija-flores ainda nascem.
Não quero lirismo que não seja incendiário.
Cada esquina é uma fratura exposta.
Agora toda sombra é a dos carrascos.
Recuperar o jardim arrasado pelo amanhã.
O meu desespero é o da cigarra.
O meu canto é o alarme da luz aprisionada
A noite já é sombra do amanhã.
Eu vigio a minha esperança.

Newsletter

Não perca o melhor do Coletivo Práxis

Posts Relacionados

Solo

1 Prado cerrado soterra não tem corpo a grama cresce em fúria nos edifícios que ensaiamos em construir nos edifícios que preparamos por embasar sobre edifícios que sonhamos em erigir…
Ler Mais